Por Everton Fernandes – Head of Applications Specialist na Ciclo PLM Software

Em um mundo competitivo, para que uma empresa sobreviva, é necessário investir. A todo ano, mais e mais investimentos são aplicados em processos, ferramentas, maquinas, capacitação, etc. Quando falamos em potencializar o processo produtivo, sempre tocamos nesse ponto, “investimento”, aplicar recursos para ter algum tipo de retorno. E se, ao invés de investir, aplicar, simplesmente retirássemos? Calma, já vamos explicar…

Você já parou para pensar quanto dinheiro está parado em sua empresa? Dinheiro esse que poderia ser revertido em investimento, ou em até em lucro? Sim! A todo o dia, milhares e milhares de investimento ficam parados em estoques, máquinas paradas, processos desnecessários, gargalos e mais gargalos. Tudo isso já foi percebido la pela década de 50, na Toyota, ao perceber-se que, grande parte dos prejuízos de uma organização dava-se devido aos desperdícios. Ao todo, esses desperdícios foram separados em 7 categorias.

Entre eles estão:

1. Transporte:

Este desperdício está ligado diretamente a quanto e como eu necessito transportar realmente, em comparação com o quanto e como eu tenho que transportar. O cliente não paga por esse transporte, logo, quanto menor a distância e quanto maior o volume de itens que eu transporto dentro do meu parque fabril, mais economia eu terei.

2.Estoque ou Inventário

Estoques, tanto intermediários quanto finais, representam dinheiro parado. Inclusive, dependendo do tempo em que um produto deve aguardar para o próximo processo ou para o repasse ao cliente final, sua integridade pode ser afetada, ocasionando inclusive refugos.

3. Movimentação

Lay outs pouco organizados obrigam os funcionários a se moverem desnecessariamente dentro do parque fabril. O acumulo do tempo improdutivo em que o funcionário movimentando se desnecessariamente gera por não estar produzindo é convertido em dinheiro desperdiçado.

4.Espera

Que empresa hoje não possui gargalos? Todos percebemos gargalos relativamente grandes em nosso parque fabril. Esses gargalos, enquanto não corrigidos, são convertidos em toneladas de investimento indo pelo ralo.

5.Excesso de processamento

A adição de operações desnecessárias, pode tanto agradar ao cliente por superar as expectativas, como também agregar funções que apenas nos trarão prejuízos.

 6.Excesso de produção

Produzir além da demanda é um erro grave. As consequências podem gerar muito estoque até eventual descarte de produtos. Além disso, em algumas ocasiões, o próprio processo possui detalhes que são executado repetidas vezes ou etapas que estão fora do recomendado.

7. Defeitos

Peças defeituosas, em muitos casos, eliminam completamente o lucro que seria obtido, e acarretam inclusive em prejuízo para a empresa. Além dos “reprocessos” e processos para a detecção do motivos dos defeitos.

Como podem perceber, um pequeno amontoados de desperdícios pode gerar um grande prejuízo para a organização. Logo, antes de iniciar qualquer investimento para potencializar o processo produtivo da sua empresa, lembre que esse investimento irá possivelmente servir também para cobrir desperdícios. Ou seja, ganho dobrado!

Conheça o ARAS INNOVATOR e otimize seus processos e fluxo de informação com baixíssimo custo.