O fim da pior recessão do Brasil desde a Grande Depressão.

By | Conhecimento & Utilidade, Sem classificação, Uncategorized | No Comments

A Profunda Recessão No Brasil Mostra Sinais de Recuperação.

Enquanto o mundo focou nos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, economistas dizem que vêem sinais de um outro megaevento que está se aproximando: o fim da pior recessão do Brasil desde a Grande Depressão.

O maior país da América Latina continua atolado em uma recessão brutal, mas alguns indicadores econômicos mostram nas ultimas semanas uma nova perspectiva, de retorno ao crescimento.

A confusão gerada no Brasil com outros desafios, como a  olimpíada, o processo de impeachment que suspendeu o presidente em exercício Dilma Rousseff e que esteve emcurso no senado, o fato de a polícia ter detido 11 suspeitos, que se diziam fazer parte de um grupo que planejava ataques terroristas durante os jogos olímpicos, também o Zika vírus que  está provocando preocupações na área da saúde, entre alguns atletas e em parte dos turistas que chegaram ao Brasil e uma onda de corrupção que tomou conta de um círculo crescente de líderes empresariais e políticos.

Nesse contexto, a recuperação, do que poderia vir a acontecer no quarto trimestre na área econômica, provavelmente seria abafada por todos esse eventos. O produto interno bruto do Brasil está projetando expandir em cerca de 1% no próximo ano, após profundas contrações negativas de 3,8% em 2015 e de prováveis 3,3% este ano, de acordo com uma pesquisa recente de 100 economistas do banco central do país.

“Estamos perto de uma virada”, disse Newton Rosa, economista-chefe da sede da SulAmerica Investimentos em São Paulo.

Entre os sinais encorajadores e a confiança encontrada entre os consumidores e as empresas, que aumentou desde que Dilma foi suspensa em meados de maio por acusações, que ela negou, de mascarar ilegalmente um défice crescente.

O presidente em exercício Michel Temer instalou uma equipe econômica liderada pelo ministro das Finanças, Henrique Meirelles, ex-presidente do banco central. As empresas têm saudado a propostas de administração de Temer para limitar os gastos do governo e aumentar a idade de aposentadoria para aliviar a pressão sobre o sistema de pensões em ruínas.

“Nós sentimos uma mudança desde que Dilma foi suspensa”, disse Sergio Ribas, um executivo da empresa de papel Celulose Irani.

Os problemas econômicos do país começaram com a desaceleração da demanda chinesa por minério de ferro, soja e outras commodities, agravada pelos esforços de estímulo do governo que se tornaram insustentáveis culminando na inflação, a dívida pública e déficits crescentes.

Políticas destinadas a corrigir o curso foram frustradas por impasses políticos ligados ao enorme escândalo de corrupção centrado na empresa estatal de petróleo, e pelo movimento de impeachment da até então líder de estado Dilma.

O desemprego agora encabeça 11%. A inflação atingiu um pico de 10,7% em janeiro, apesar dos esforços do banco central para conter o preço levantando a Selic para 14,25%, uma das taxas mais altas do mundo.

Desde janeiro, no entanto, os aumentos de preços já começaram a facilitar, e a Selic está previsto para cair para 13,25% no final do ano e terminar 2017 em 11%, de acordo com a pesquisa do banco central.

Outros indicadores que oferecem esperança também é a produção industrial que tem aumentado, ou se mantido o mesmo em comparação ao mês anterior desde março, segundo a agência de estatísticas do Brasil. As vendas de veículos e a produção aumentou em junho, o terceiro aumento consecutivo, isso vem ocorrendo mês a mês, de acordo com a associação de fabricantes de automóveis brasileira Anfavea.

“O mercado parece ter encontrado seu piso”, disse recentemente Antonio Megale Presidente da Anfavea. “Normalmente, após os números estabilizaram, você começa a ter crescimento”.

Os mercados financeiros têm se reunido na esperança de que, a queda de Dilma de sinais de esperança na economia. A Ibovespa, subiu cerca de 31% até então, depois de cair 13% em 2015, enquanto a moeda do Brasil, o real, tem aumentado cerca de 22% em relação ao dólar até este momento de 2016.

Ainda assim, a recuperação do Brasil é frágil e suas contas públicas são precárias. Enquanto a administração do Sr. Temer prometeu austeridade, a dívida pública está prevista para acertar 76,6% do PIB no final de 2017, contra cerca de 69% atualmente. Desde setembro, todos as três principais firmas de classificação de crédito rebaixaram a dívida soberana do Brasil à sucata.

Outra preocupação é a Operação Lava Jato. A maior investigação sobre corrupção no Brasil tem enlaçado dezenas de políticos de todos os principais partidos. Três membros do novo gabinete de Temer foram forçados a renunciar a um mês de assumir o cargo depois de ser nomeado pelos informantes.

Temer não tem sido implicado pelas autoridades e negou irregularidades. Mas, mais consequências políticas poderiam enfraquecer a sua coalizão de governo e reduzir a sua capacidade de passar revisões extremamente necessárias.

“Se isso acontecer, poderíamos sentar-se no fundo do poço por muito mais tempo”, disse Newton Rosa da SulAmérica Investimentos.

O desemprego continuará a ser um empecilho à economia, tendo subido para 11,2% nos três meses encerrados em maio. Isso está pesando sobre as vendas no varejo, que a partir de maio havia declinado 14 dos últimos 18 meses, e que 20% abaixo do pico agosto de 2012, de acordo com Alberto Ramos, chefe de pesquisa da América Latina para a Goldman Sachs.

Laurence Gomes, diretor financeiro da rede de vestuário Lojas Renner, disse que sua empresa sentiu a dor. Mas o estoque de sua empresa é até mais de 50% maior este ano na expectativa de tempos melhores à frente.

“O emprego é o último indicador que começa a melhorar”, disse Gomes.

Fonte: Market Watch

O que é Indústria 4.0?

By | Conhecimento & Utilidade, Industria 4.0, Sem classificação, Uncategorized | No Comments

Bom… Para falarmos de Indústria 4.0 ou a também conhecida Manufatura Avançada, podemos comerçar pela Primeira Revolução Industrial, ou, Industria 1.0 para entendermos o avanço desta ao longo dos anos…

A primeira Revolução Industrial originou-se na Inglaterra por volta do ano de 1750, sendo que apenas entre 1820 ~ 1840 surgiu a descoberta da maquina a vapor que foi onde ocorreu a transação dos métodos artesanais para a produção com máquinas, alterando o bioconsumível para geração de energia para o carvão. Também, nesta revolução, surgiu novas fontes de pesquisa como novos processos em produção de ferro e produtos quimicos, por exemplo.

A Segunda Revolução Industrial começou aproximadamente meio século depois, entre 1850 ~ 1870 e terminou em meados da Segunda Guerra mundial. Um dos grandes avanços nesta revolução foi a produção em massa, surgindo os produtos enlatados e bens de consumo, dando inicio as técnicas de refrigeração para preservação de estoque, invenção do telefone, desenvolvimento da indústria quimica e elétrica, novas tecnologias de obtenção e tratamento de aço… Foi também o período da invenção do avião e o avanço nas locomoções transporte-aquaticas com grandes navios movidos a vapor.

A Terceira Revolução Industrial começou logo após o ano de 1940, liderado pelos USA, iniciando a integração da máquina e robôs com os computadores, retirando parte do trabalho “braçal” das indústrias, surgindo novas tecnologias as quais são adotadas até hoje, como o computador pessoal, telefone pessoal (SmartPhones), surgimento da consciência ambiental, internet, globalização, etc.

Curiosidade: Em 1969 foi onde surgiu o primeiro CLP (Central Lógica de Processamento) nas indústrias, que foi o MEDICON (Controlador Modular Digital) 084, com a finalidade de reduzir os custos com cabeamento na comunicação entre as máquinas, sua prioridade principal era atender as indústrias, porém, acabou sendo utilizado para edifícios e casas também.

A Industria 4.0, ou, Manufatura Avançada, foi um termo usado a primeira vez em 2012, e vem sendo difundido cada vez mais ao redor do mundo. Ele traz a idéia de uma Indústria onde as máquinas possam se ajustar e conversar com as próprias máquinas para a produção do produto, sem o gasto de um papel se quer, sendo apenas monitorados pelo conceito que foi criado de Virtualização, que é a visualização dos processos fora do chão de fábrica, a Coleta de Dados em tempo real, comunicação entre as fábricas através da Nuvem, entre outras.

NO BRASIL: Todos os grande players mundiais (BMW, GM, BOSH, entre outras.) que estão evoluindo na tecnologia de mundial de manufatura estão no Brasil, isso tem impulsionado as industrias brasileiras a se interessarem e buscarem as informações para o uso desta tecnologia. O conhecimento destas, terá um grande avanço na produção de produtos tanto em quantidade como em qualidade, diminuindo os seus custos e aumentando a competitividade das indústrias brasileiras no mercado do Brasil e também fora dele.

“Para utilizar a tecnologia da Indústria 4.0, as empresas precisam antes criar o Conceito de Indústria 4.0.”.

Quando se fala em Industria 4.0 não se pode deixar de lado a produção sustentável (Industria sem Papel, ou mais conhecida por Zero Paper), que com certeza será um assunto abordado a curto prazo.

O mundo obscuro do PLM

By | Gestão do Ciclo de Vida do Produto, Industria 4.0, Sem classificação, Uncategorized | No Comments

Por  – Senior PLM/PPM/PDM/ALM specialist

Existe um mundo de PLM obscuro, falso, superficial. Esse modelo vem sendo aplicado nas empresas em diversos processos, tais como engenharia, desenvolvimento, manufatura, qualidade e fornecedores. Tudo aparentemente vai bem até que a surpresa acontece. Pergunte a si mesmo: Você quer colocar a sua empresa em risco? Receber uma não conformidade em uma auditoria, uma penalidade dos órgãos regulatórios? Deixar de cumprir uma exigência normativa que podem impedir de manter o seu produto no mercado?

Na imprensa mundial, em sites especializados e na internet você pode encontrar muita informação sobre o crescimento fenomenal da Aras no mercado de PLM, substituindo TeamCenter, Windchill e ENOVIA. Mas será que a Aras está realmente substituindo esses sistemas? Como se substitui um sistema que não foi completamente implementado? Para ser mais claro, todos esses sistemas eram considerados como projetos de sucesso em TI.

As evidências estão em todos os lugares. Esse mundo obscuro do PLM se torna visível facilmente quando analisamos os detalhes. Você tem alguma planilha daquelas que contém 40+ colunas e centenas de macros? Esse é o seu sistema PLM. Avalie o tráfego de informações entre a sua empresa e serviços de armazenamento como o Dropbox e Google Drive ou até mesmo o bom e velho FTP. Sim, este é o seu ambiente “seguro” de compartilhamento de informações sigilosas com a sua cadeia de fornecedores. Na verdade o mundo obscuro do PLM está enviando o capital intelectual da sua empresa via e-mail, FTP e Dropbox para os seus fornecedores. Se ignorarmos a segurança dessas informações por 1 minuto, onde estará o controle? Você consegue ter certeza absoluta de que está enviando o arquivo correto, o desenho na revisão correta, o procedimento atualizado para o seu fornecedor?

Vamos perguntar ao departamento de qualidade da sua empresa o que eles estão considerando como documentos corretos. Eles podem estar enviando informações erradas e recebendo os erros atualizados…

Isso é o que chamamos de passar o problema adiante.

Bem, agora nós podemos entender o motivo pelo qual a Aras vem crescendo tanto. A Aras não está substituindo o TeamCenter, Windchill ou ENOVIA. Esses produtos nunca foram entregues. A Aras está substituindo esse mundo obscuro do PLM, os controles paralelos, os processos desconexos e essas planilhas intermináveis.

Tudo isso está sendo feito com qualidade, robustez, facilidade de parametrização, entregas reais e um custo de propriedade baixíssimo.

Apenas uma solução que seja viável tecnicamente a um preço justo e que possua escalabilidade de crescimento irá garantir o sucesso do seu negócio com uma implantação real de PLM.

Venha para o mundo novo da Aras PLM, saia desse mundo obscuro do PLM que nunca foi implementado.